Ransomware: Valores dos "resgates" triplicaram no ano passado. Saiba como se proteger dos ataques.

Cresce o número de ataques de cibercriminosos com o intuito de sequestrar dados das vítimas por meio de criptografia. O Brasil é o país que mais sofre ataques ransomware na América Latina, e apenas 34% das empresas brasileiras reconhecem esse tipo de ameaça. Fabio Assolini, pesquisador sênior de segurança da Kaspersky Lab no Brasil, ressalta: “Empresas financeiras, agências do governo, instituições acadêmicas e até os hospitais; qualquer organização pode ser vítima”. Um relatório da CTA (Cyber Threat Alliance), aponta que, em 2015, cerca de R$ 1,53 bilhão foram pagos a hackers que utilizam o ransomware. Os Estados Unidos lideram o ranking, sendo os mais afetados pelos ataques, com 35%, seguido do Japão, Itália, Canadá e Índia. As formas de ataques estão sendo cada vez mais versáteis. Hackers estariam aprimorando softwares maliciosos, deixando cada vez mais eficazes, com pragas específicas e modificações de ameaças atuais, potencializando seus recursos e possibilidades. É bom lembrar que a grande maioria dos cibercriminosos são jovens, com um conhecimento prático no desenvolvimento de softwares, ou seja, são mentes por trás dos ataques. Como se não bastasse, cerca de 40% das vítimas não recuperaram o acesso aos dados, perdendo tanto o dinheiro quanto os arquivos. As empresas são prejudicadas com a perda temporária ou permanente de informações e até interrupções de serviços regulares. Existem algumas medidas para que você não caia facilmente em golpes como esse, alguns bem populares, como não clicar em links ou anexos de e-mails suspeitos, com códigos maliciosos, manter o computador sempre atualizado, manter os recursos de restauração sempre ativos e outros serviços mais avançados de monitoramento por empresas especializadas. Também é sempre bom analisar o tamanho do prejuízo que sua empresa teria ao ser afetado por esses ataques e contar com um serviço de backup, prevenção e manutenção dos seus dados. A busca por esse tipo de serviço vem crescendo, com profissionais capacitados para prevenir eventuais danos aos seus arquivos. Se tiver alguma dúvida sobre os serviços, deixe seu comentário no post e entre em contato com a Trade in: 85 3535-6262 | contato@tradein.com.br.

Fontes: canaltech.com.br | segurancabrasileira.com.br | cyberthreatalliance.org